Quinta, 28 Julho 2016 16:21

Como a segurança privada irá atuar nas Olimpíadas 2016?

Avalie este item
(0 votos)

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro vão ser disputados de 5 até 21 de agosto, em 2016.

No total serão 42 modalidades e são esperados mais de 10.500 atletas do mundo todo que estarão no nosso país. E apesar de toda festa este será o momento em que todos estrão de olho no Brasil e principalmente na segurança que o país oferece aos seus visitantes.


O Ministério da Justiça já anunciou que os Jogos Olímpicos terão uma segurança compartilhada: 41% pública e 59% privada. O número é relativo ao número de instalações das Olimpíadas. As forças públicas, no entanto, serão responsáveis pelas instalações de competições, áreas de treinamento, Vila Olímpica e Vila dos Árbitros, o que corresponde a locais onde estarão cerca de 860 mil pessoas – 82% do público dos jogos. A segurança privada vai atuar somente em áreas administrativas.

A segurança privada será fundamental neste processo e será paga pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e está estimada em R$ 252 milhões. Os investimentos do governo, em equipamentos e estruturas que ficarão de legado, serão de R$ 350 milhões. O custeio do efetivo de policiais não é somado ao valor.

Segundo o Ministério da Justiça a segurança pública deverá ser feita exclusivamente pela Força Nacional, que tem um efetivo de 13 mil homens. No entanto, a instituição têm instrumentos jurídicos para convocar mais policiais estaduais, tanto militares como civis.

A escolha pela Força Nacional se deu para não impactar o policiamento normal no Rio de Janeiro. Desta forma, policiais militares não serão deslocados de batalhões ou UPPs para realizarem segurança para os Jogos Olímpicos.

Para a Gerente Comercial da GLOBALEG – Ariane Agnes, essa será sem dúvida uma oportunidade para as empresas do setor de segurança privada se destacarem no mercado. “O fato é que o mundo inteiro estará olhando para nós, precisamos desenvolver um trabalho integrado e conjunto com a segurança pública para que possamos oferecer segurança e tranquilidade para que o evento aconteça da forma que tem que ser: impecável. Não queremos e não podemos deixar que eventos ou situações isoladas comprometam o desenvolvimento das Olímpiadas no país, pelo contrário, precisamos mostrar a todos que estamos preparados para oferecer segurança no sentido mais amplo e abrangente da palavra”, disse Ariane.

As informações foram divulgadas em mais uma reunião da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 (COESRIO2016). Participaram representantes da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, da Secretaria de Estado de Segurança e da Secretaria de Estado de Defesa Civil. A COESRIO2016 é um fórum deliberativo no qual se define os parâmetros da atuação coordenada e integrada dos órgãos federais, estaduais e municipais de Segurança Pública e de Defesa Civil, bem como de outras entidades relacionadas.

Lido 1476 vezes